Páginas

E quem disse que a natureza não está presente nas cidades?

O objetivo do UrbAnimals é exatamente esse: Dar uma visão que geralmente passa despercebida por todos diante de tanto trabalho e correria. A vida animal está presente tanto em nossos quintais como em parques e zoológicos.


O tema dos animais urbanos foi escolhido por mim não só pela certa dificuldade em ser estudante e viajar à procura de outros animais, mas também por se tratar de um tema importante, que mostra o quanto o homem já interferiu na vida do planeta, e como a natureza está se adaptando a isso.


Como futuro biólogo, tento aprender e difundir esse conhecimento cada vez mais, para que o homem entenda melhor cada uma dessas belas criaturas e aprenda a viver em harmonia com elas, trazendo assim um mundo melhor para todos, um mundo melhor para a vida.

Surpreenda-se. De cães a elefantes, de peixes a morcegos, o UrbAnimals vai te levar ao mundo de cada um deles.

Um grande abraço, Thom Girotto.

23 de setembro de 2012

Paranapiacaba em 50 imagens incríveis!

Domingo, dia 26 de agosto. Acordei às 5 da manhã em pleno domingo, para encontrar alguns amigos e entrar no mato lá em Paranapiacaba! Como disse na prévia, não filmei essa aventura, porém tirei muitas fotos, e escolhi as 50 melhores para resumir esse dia maravilhoso, que você confere aqui!

Domingo de manhã, da zona sul de São Paulo a Paranapiacaba só de transporte público? Como já disse, biólogos e seus companheiros sempre serão chamados de loucos!

 Marcio e Carlão preparando suas câmeras para a aventura!


Essas manchas vermelhas na árvore são associações entre algas e fungos, os líquens; Existem líquens brancos, verdes e vermelhos. Os vermelhos só podem ser encontrados em locais onde o ar é muito úmido e puro... Foi um bom sinal ver que a árvore estava lotada de líquens!


Uma bela borboleta dando o ar de sua graça logo no começo da trilha...


E o primeiro desafio foi lançado: Atravessar, seja por cima ou por baixo, sem se molhar!

 O casal Marcio e Eli em plena travessia! 


 Uma bela bromélia, planta epífita típica da Mata Atlântica.


 Essa é a famosa carqueja, uma planta brasileira conhecida pelo seu gosto amargo e muito utilizada na medicina popular, que diz que a carqueja combate problemas digestivos e hepáticos; Como possui efeito diurético, ajuda no emagrecimento e controle da diabetes, mas deve ser usada com moderação.

E com um cenário desses, quem é que não se empolga para explorar o lugar?!

Não deu pra resistir, nem mesmo no frio; Entrar na água é uma obrigação!

E enquanto fazíamos nosso primeiro lanche... Uma taturana! Linda, por sinal... O nome 'taturana' vem do guarani, onde 'tata' significa 'fogo', e 'rana' é 'semelhante'. Ou seja, a taturana tornou-se a 'lagarta-de-fogo' por conta do veneno urticante que alguns destes animais possuem.

 Água cristalina


A primeira de muitas aranhas...

Vale lembrar que no Brasil, só existem 3 espécies de aranhas que são potencialmente perigosas ao homem: aranha-marrom, armadeira e viúva-negra. Esta não é uma delas, na verdade nem é uma aranha! - É um opilião. Estes aracnídeos que não possuem veneno são muito facilmente encontrados na Mata Atlântica, e contam com uma diversidade enorme de formas e cores!

 Foto no rio! Ê beleza...


 Carlão e eu


 Já é difícil encontrar estes animais; Focalizar com a câmera é ainda mais. Agora, identificar de qual espécie se trata... Só sendo especialista!


 Bom demais trilhar num lugar desses!

 'Olha pra cá, galera!'

A água é uma das melhores escultoras da Natureza... Incrível!

Vista privilegiada durante a trilha

 Vale cristalino


 Uma pequena aranha vermelha! Essa também foi difícil de focalizar...


 UrbAnimals em Paranapiacaba!


 Quantas bromélias em uma árvore só! Não consegui contar... As bromélias são plantas que vivem sobre outras, mas não são parasitas. A relação que elas mantêm com a planta hospedeira é de epifitismo, ou seja, elas vivem na árvore sem prejudicá-la.


Essa aranha eu soube identificar... Até porque também não é uma aranha! Trata-se de mais um opilião, um daqueles aracnídeos que se alimentam de praticamente tudo, e ao contrário das aranhas, conseguem ingerir partículas sólidas. Possuem o segundo par de patas maior do que as outras, e a maioria dos opiliões têm hábitos noturnos.


Marcio e uma lagarta-compasso

Pedrinho se aventurando pelas pedras, num lugar pra lá de lindo!

Como são bons os momentos em meio à Natureza!

Aí está o Carlão, que também ficou conhecido como Djavan, curtindo a cachoeira!

A Mata Atlântica proporciona paisagens como esta; É triste saber que resta apenas cerca de 7% de sua cobertura original... ):

Enfim chegamos ao destino final da trilha: A cachoeira do vale, que por sinal, estava com pouca água devido ao longo período sem chover.

 Não só pela beleza e exuberância, mas pela vida que se estende; O homem precisa reconhecer que a importância de se preservar a Natureza vai além das fronteiras econômicas. 
Precisamos entender que dinheiro não se come, não é saúde e nem rege o equilíbrio do planeta! 

Imaginem a altura em que eu estava! 


Carlos admirando a vista; Foi marcante poder flagrá-lo neste momento, pois vi nele uma expressão de admiração incrédula enquanto observava a Natureza; É realmente de tirar o fôlego, uma sensação incrível, e escolhi esta foto com o intuito de que todos que já sentiram isso perante à Natureza possam elevar o nível de conscientização e preservação ambiental, pois afinal, precisamos dela, e agora, ela também precisa de nós.

 Cachoeira do vale, demais!

 
E depois de admirar aquela cena, estava na hora do Carlão aproveitar e mais uma vez entrar na água, de roupa e tudo!

Carlão após uma entrada na cachoeira do vale: A empolgação foi tanta que ele nem se tocou que estava com a última troca de roupa do dia, mas garanto que para ele isso nada importou; Mais um futuro biólogo!

Marcio me flagrou gravando a prévia da postagem, depois de matar um lanchinho em plena cachoeira!

A noite começava a chegar, e a névoa subia na serra... Mais um momento de beleza espetacular!

Rapaz, fiquei impressionado com esta rocha! Olha só pra ela! Isso é culpa do Roberto, que sempre encontra geometria natural nas nossas aventuras por Minas Gerais! Roberto, não esqueci de você! Aqui está  mais uma obra-prima da Natureza!

Nos despedindo da cachoeira do vale

Negão, o nosso Moisés!

Dessas pedras no caminho ninguém reclamou!

E anoitecendo tudo muda na floresta... Mas continua lindo!

 Já era tarde, garoava e escurecia... Meus pés doíam e estavam encharcados, mas eu só reclamava de uma coisa: ter que ir embora.


E foi no final da estrada de terra que as lanternas fizeram um par de olhos brilhar no meio da estrada. Um bacurau-tesoura-gigante!

 A ave voava e aterrissava no meio da estrada novamente; Como o flash pouco ajudava quando ela estava no chão, arrisquei e consegui fazer esse belo registro da ave em pleno voo! 

Deixamos Paranapiacaba após um dia inteiro andando pela natureza. Não tenho como descrever o dia, acho que as fotos falam melhor por mim; Foi uma experiência incrível!

E no trem, de volta para a cidade, tiramos essa foto para mostrar o estado de nossos calçados após a trilha... Será que alguém se sujou? 

Enfim, foi muito difícil escolher apenas 50 fotos para ilustrar esse dia tão bom, eu quase consegui! Só não posso deixar de postar a foto número 51, de todos que participaram e fizeram desse dia tão bom!

Valeu galera, até a próxima!


2 comentários:

  1. Ai galera!, ai as Bromélias são parasitos facultativos, só parasitam quando falta luz solar para seu processo de fotossíntese! sugando a seiva elaborada da arvore, sua classificação na parasitologia é: Phytophytico ou seja, vegetal que parasita vegetal! :D abraços irmão biólogos! :D

    ResponderExcluir
  2. Vivendo e aprendendo! Obrigado, irmão biólogo!

    ResponderExcluir